sábado, 24 de julho de 2010

O amor permanece!




Esta semana me perguntaram, pelo Formspring, se eu prefiro não amar, ou se arrepender depois de ter amado. Uma pergunta interessante. Muita gente responde de forma lacônica pelo Forms. Eu cultivei o costume de algumas perguntas responder em forma de um comentário ou de um pequeno texto. Com essa não foi diferente.

Quase não tenho falado mais de amor, seja no Twitter, no Facebook, no Orkut ou nesse blog. A única frase que remete a esse sentimento tão humano e ao mesmo tempo tão divino é um trecho da música Noite e Dia de Jorge e Mateus que está no meu subnick de meu segundo MSN.

Quando o sentimento é forte, intenso e, sobretudo, correspondido na minha vida, costumo expressar por todas as formas possíveis e, em particular, nas redes sociais que faço parte. Quando estou sofrendo também faço a mesma coisa. Quando estou mais ou menos prefiro ficar quieto. É como estou.

Mas a pergunta que me foi feita pelo Formspring me deixou pensativo. Antes, uma amiga tinha me perguntado o que eu escreveria para ela. Como sei que ela anda um pouco apaixonada, escrevi algo sobre o amor. De certa forma escrevi pra mim também ao respondê-la. Eis a resposta:

[...] antes de amar qualquer pessoa, ame a si mesma!

Pense que o amor a outra pessoa, geralmente, é passageiro. Não existe amor eterno. O amor é eterno enquanto dura. Na vida muitas pessoas passam e mechem com nosso coração. Algumas com impacto mais forte, outras menos...

De todo jeito você vai amar muitos caras ainda. Ame cada um como se fosse a última vez. Depois que acabar não se arrependa, pense nos momentos bons que você viveu junto dele. Pense na troca de carinhos, nos beijos, no sms apaixonados, nos tweets que trocaram, nos depoimentos do Orkut...

Mas nunca se esqueça: o amor nunca morre! Muda de endereço, mas permanece para sempre...

Ela gostou do que escrevi (risos).

A resposta que eu dei quando me perguntaram se eu prefiro não amar ou depois me arrepender de ter amado foi à seguinte:

Eu prefiro me arrepender depois de ter amado. Mesmo que o amor não dure para sempre, os momentos bons, os beijos, os abraços, as carícias trocadas... Tudo isso foi bom e ficará pra sempre guardado. Foi um momento que fui feliz. Um instante mágico. Sabe aquele sorriso... Hum... As pegadas... Claro que eu preferia que fosse eterno, mas foi eterno enquanto durou... Como bom chicleteiro eu canto "não vou chorar, nem vou me arrepender, foi eterno enquanto durou, foi sincero nosso amor, mas chegou ao fim".

Eu jamais iria cantar como Adriana Calcanhoto "Rasgue as minhas cartas e não me procure mais, assim será melhor meu bem! O retrato que eu te dei se ainda tens Não sei! Mas se tiver devolva-me!”

Pra tu ter idéia, eu tenho e-mails guardados desde dezembro de 2006... e-mails amorosos. RS

As duas respostas são parecidas. Confesso, contudo, que a última resposta fugiu um pouco da pergunta. Mas é assim que vejo o amor, que vejo um relacionamento. Não adianta, depois que acabou um namoro, a gente ficar se maldizendo, falando mal da outra pessoa. Tudo que as duas pessoas viveram juntos foi bom, foi gostoso, foi mágico e não deve ser esquecido.

Algumas pessoas, sempre após a ruptura de relacionamento, costumam falar que não acreditam mais no amor. Eu tenho um amigo que já me disse várias vezes isso. Muita gente coloca a culpa de seus erros, dos desacertos do relacionamento no amor. Não é assim. O amor não tem culpa de nada. Houve amor enquanto durou o namoro, o noivado e/ou casamento. Ou aqueles momentos de cumplicidade, de desejo intenso, de sorrisos trocados, de conversas intermináveis... não foram bons?

Eu acredito no amor. Esse é um sentimento eterno. Talvez um relacionamento não dure o tempo que foi planejado, sonhado, desejado durante o momento em que o sentimento entre as duas pessoas era forte. Mas existiu. E continuará a existir. Outras pessoas estarão dispostas a amar. Outras pessoas aparecerão na vida da gente e o amor vai ser intenso novamente. Claro que não vai ser igual ao o anterior. Cada amor é único. Não existe um amor igual ao outro, porque o amor faz parte das pessoas e não existe uma pessoa igual à outra.

O amor permanece. O amor dura para sempre, só muda de endereço.

4 comentários:

  1. Eu concordo contigo:

    Não esqueço como é importante amar e ser amado, mas acredito que ainda que fracassamos - tudo que vivemos foi válido e serviu de experiência, garante e promove a maturidade...

    Não fico feliz, caso eu sofra de amor ou com uma decepção ocasional - mas, não saio maldizendo o mundo! rs

    Eu acho que tudo que vivemos tem certo sentido, importância e necessidade...e, incondicionalmente, me defino um ser romântico passional...por isso, eternamente confio e creio na existencia desse sentimento!

    Me alimento dele...

    ResponderExcluir
  2. Nooooooossa Joel! Que texto!
    Parabéns!

    ResponderExcluir
  3. O que nos faz ser especiais senão o amor? Penso que você se contradisse (duas vezes) sobre a duração do amor. Primeiro disse que é passageiro "que seja eterno enquanto dure" e, posteriormente, disse que é "para sempre". Não consigo pensar que o amor é algo que acabe, tenha fim, the end, estagna.Penso no amor (próprio, filial, carnal, superior) como único, um conjunto de sentimentos misturados que se faz um só. Amor é atitude.
    De qualquer forma, concordo com você. Penso que a atitude enquanto amor, vale mais do que a idéia de amar. Será que entendi bem?

    Ah, não sei. Só sei que sinto assim, ao menos por enquanto.

    ResponderExcluir
  4. wlw Cris!

    wlw anônimo (a)

    Amiga, quando me referi a que seja eterno enquanto dure, me refiri a uma relação a dois. Que todos os momentos vividos entre ambos sejam eternos, ocorram como se nunca fosse ter fim... O pra sempre é o amor... Amor enquanto sentimento, virtude, dom... Por isso, eu disse que ele não morre. Só muda de endereço!

    abs

    ResponderExcluir

Você poderá gostar também

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...