quinta-feira, 2 de outubro de 2008

Porque não sou mais evangélico



Na nossa existência escolher é um imperativo.

É impossível viver sem escolher, sem fazer uma separação do que será bom ou mal pra gente, do que pode acelerar ou diminuir o crescimento da gente.

As escolhas geram dor. Mesmo as que são necessárias. Ao escolher uma coisa, um caminho, deixamos outra coisa, outro caminho de lado, para trás, que, em alguns casos, fizeram parte do nosso cotidiano durante muito tempo...

Quando escolhi não permanecer mais na Igreja Universal do Reino de Deus foi uma decisão que me trouxe muita tristeza. Não obstante as mágoas que levei dela, a saudade, durante muito tempo, das pessoas, das reuniões, das viajens se fez presente em mim.

Mas a Igreja do Betel Brasileiro, pouco a pouco, foi preenchendo o espaço antes ocupado pela IURD. Lá meu envolvimento foi maior. Se tornou o único espaço de socialização para mim, além da escola onde estudava e depois faculade, e da minha casa. Minha mentalidade, meu cotidiano, minha vida, foram totalmente moldados pela Igreja.

Eu já vinha pensando em romper com a religião. Mas, mesmo querendo eu não podia. Era lá que eu me sentia humano, porque a gente só se sente assim com a interação com outros humanos; era lá que eu me sentia útil, seguro, mesmo vivendo conflitos com as idéias, com a teologia, eu ainda não podia deixar ela.

Mas escolhi, depois de mudanças interiores em mim, não permanecer mais lá. Estou sentindo diferenças, mas não tanto como a escolha anterior. Agora minha rede social se expandiu, aumentei o número de colegas e amigos, já não sou tão isolado como antes, como há dois anos atrás.

Dois fatos aconteceram que me fizeram romper agora a pouco. O primeiro: meu primeiro emprego como professor. Foi na escola, ensinando, que aumentei minhas amizades, e ai quando eu passava pelas ruas não era visto somente como religioso, mas agora como professor. Lá eu expressava idéias tão silenciadas pela religião. Meu espaço de socialização se ampliara.

O segundo foi a campanha política de agora. Fiz muitas amizades. Criei vínculos com pessoas. Além do reconhecimento do meu trabalho como professor, agora sou reconhecido como político. Não me candidatei. Mas participei ativamente dessa campanha que domingo chega ao fim. Já não estou mais só. Já tenho pra onde ir, com quem ir, com quem conversar.

Era o que eu precisava para fazer a escolha há muito desejada. Aproveitei o carnaval fora de época daqui para anunciar essa escolha. Não sou mais evangélico. Posso voltar a ser no futuro? Não pretendo. Mas o futuro não pertence a mim. É feito por mim, em larga medida, mas não tenho sobre o domínio que todos homens e mulheres almejam.

É uma nova fase em minha vida. O novo sempre trás consigo sentimentos ambíguos. Mas essa mudança fazia parte de meus planos para 2008. Deu certo até agora. Depois...

Escolhi. A todo instante nós escolhemos. Não escolher já é uma escolha: escolher não escolher.

Portanto, só o tempo, só ele, dirá se fiz ou não a escolha certa...

2 comentários:

  1. Você verá mais tarde que abandonar Jesus não foi a melhor escolha. Que pena que você não teve um encontro verdadeiro com Ele, não O conheceu de verdade, deixou que o brilho falso do reconhecimento do mundo ofuscasse a luz verdadeira que é Jesus Cristo.

    ResponderExcluir
  2. Talvez você precise desse "tempo" distante de Deus.Mas um vaso quando é transformado, nunca mais voltará a ser o mesmo, e tu bem sabes que é e foste um. O brilho das "amizades" um dia se apagarão, porque amigo verdadeiro só o Senhor Jesus. Suas idéias sobre religião e até de Deus podem terem sido ofuscada,claro, o conhecimento HUMANO muitas vezes nos fazem nos afastarmos Daquele que nos mostrou o verdadeiro caminho, porque sempre o homem está debatendo com Deus.Se for para o Senhor te mostrar que não podes viver sem Ele, que passes por privações, falsas amizades, a glória de ser reconhecido...Ele prova só aqueles a quem Ele ama. Qual o pai que não diciplina seu filho? Assim é Deus para contigo, ainda não percebeste o que Ele tem para contigo.Que essa "decisão" de afastar-se Dele é a melhor escolha, isso tenho convicção que não é.As coisas do mundo são lindas, fáceis, mas no fundo não há alegria dentro do teu coração. Passe o que for, mas no tempo certo o Senhor te espera. Espero que não se decida muito tarde.

    Fique na paz!!!!!!

    ResponderExcluir

Você poderá gostar também

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...