sábado, 12 de abril de 2008

A semana, coisas sem nexo

Esta semana pensei várias vezes em postar o que tem ocorrido comigo.
Abri várias vezes meu Gmail, o Blogger, mas dava errado e não abria de jeito nenhum a página de postagem. Aí, terminei protelando de escrever algo.
Agora, são 17:47 hs de sábado, o último dia da semana.
Acho que não vou escrever o que estava na minha mente. Vou analisar minha semana, vou fazer um resumo, se minha memória ajudar, né?
Na escola, foi uma semana de provas. Em quase todas as turmas que ensino, com exceção de uma, fiz avaliações, recuperações de nota baixa. Aff, é um saco. Os alunos filam, a gente sabe, mas faz de conta que não sabe, pra ver se eles melhoram a nota. Nossa, tem gente que não estuda nada. Na hora da prova quer colar. Numa turma isso não deu certo. Foi na 3 série do ensino médio. Não permito que jovens vestibulandos se comportem como se estivessem na 5 série do fundamental. Não compreende o que ler, é um saco. Dessa vez fui duro na prova com eles. Eles mesmo confessaram que não tinham estudado. O resultado: só um aluno conseguiu a nota mínima pra "passar".
Terça-feira na faculdade assisti um filme sobre 68. Nossa, aqueles dias sempre me encantaram. Na classe, na aula anterior, discutimos sobre isso. Foi uma "briga". Uns eram contra. Outros, a minoria, como eu, éramos a favor, o professor também era. O filme, que esqueci o nome, mostrava aquele período na França (ainda visito se Deus quiser Paris...), através da vida de três jovens que tinham um estilo de vida bastante diferente da sociedade "normal". Foi incrível.
Teve no mesmo dia uma reunião política na minha cidade, que infelizmente não pude participar. Foram apresentados o pré-candidato a vice-prefeito na chapa da oposição e os pré- candidatos a vereador - vários.
Na mesma terça, na mesma faculdade, antes de ir assistir o filme, assim que chegeui na sala, uma colega me disse que Elisa , minha professora adorada, queria falar comigo. Logo pensei que seria o livro que eu havia pedido a ela. Corri a faculdade toda atrás dela. Acho que as pessoas não entenderam o motivo daquilo. Eu tinha pressa em voltar pra sala, assim tive que correr. E suei. Chegando na coordenação do curso, ofegante, ela até levou um susto, ela me deu dois livros. Na hora fiquei meio decepcionado, porque eu queria o livro que havia pedido. Mas, como a temática era a mesma, aceite de bom grado, e fui logo lendo as orelhas. Nossa, achei o máximo o que dizia.
Quando esperava o ônibus, comecei a ler.
Não parei de ler. O primeiro "Trem fastama", relata a vida de homossexuais nas décadas de 70 e 80, a vida livre que tinham, antes da "Peste gay" aparecer. Depois da sua vinda, o resultado foram mortes e mais mortes.
O segundo "O 3º Travesseiro", é maravilhoso. Li num instante. Foi o primeiro livro que me fez chorar. Ao mesmo tempo que eu lia, pensava numa pessoa muito importante pra mim. Não vou falar sobre o que trata o livro. Mas, leia por favor. Vale a pena.
Os dois livros que recebi na terça acabei de ler na sexta.
Hoje, fui pra convenção do meu partido, PHS. Cheguei atrasado, porque nos sábados faço um curso de espanhol no CCAA.
Agora de tarde fui malhar, o que fiz a semana toda, com exceção da quinta-feira.
Sim, ia me esquecendo. Ontem mandei um e-mail pra uma pessoa que eu amei e amo muito. Acabamos, ou melhor, eu acabei, mas... Eu tinha que mandar aquele e-mail. O "3 travesseiro" me ajudou a enviar. Pensei que não ia ser respondido. Ontem, esperei várias vezes a resposta. Mas não veio. Hoje, da mesma forma. Agora de tarde entrei duas vezes, na ansiedade de ver a resposta. Agorinha, já sem esperança, vi que tinha me respondido.
Depois comento algo a respeito. Não é o momento propício.
Outra coisa desta semana. Achei uma comunidade no Orkut que tem vários livros pra baixar. Fiquei besta. Baixei vários livros, que certamente, não poderia comprar agora.
São 18:11.
Fim

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Você poderá gostar também

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...