sexta-feira, 12 de outubro de 2007

Lembranças de criança

12 de outubro. Dia das crianças. Foi-se o tempo em que a criança não era ouvida, o espaço para era reservado excluía presenciar conversas de adultos, dá opiniões. Foi-se o tempo em as crianças brincavam de roda na ruas, iam pra casa dos vizinhos quando os pais viajavam, sonhavam com os personagens dos desenhos animados, se apaixonavam pela apresentadora de programa infantil (eu gostei de Xuxa).

Vivenciei, por morar em uma cidade interiorana, o tempo áureo da infância, como alguns gostam de falar. Lembro-me das brincadeiras de esconde-esconde, de toca, de pai da rua, lembro que eu ia pra casa de uma senhora vizinha bem cedo para acabar meu sono lá. As quedas que levei na ladeira onde morava. Os cortes no dedo, na mão, pelo uso da faca para descascar uma laranja ou uma cana-de-açúcar para chupar, tenho ainda hoje as cicatrizes. Lembro que subia nos pés de laranjas no terreno vizinho, e em cima ficava chamando palavrões para o vento ficar forte, quando ele recrudescia rogava a ave-maria para acalma-lo.

Não tinha briquedos. Meu pai era o único que trabalhava e não tinha condições para presentear a mim e a minhas irmãs. Quando ele comprava um pra mim em pouco tempo já estava quabrado.

Meu sonho era ser artista de cinema e namorar uma atriz famosa. Ser cantor também. Ir pra o outro lado da tela de televisão.

Nas brincadeiras passava pelos quintais dos vizinhos sem nenhum receio. Respeitava os mais velhos, pela experiência e pelo saber que detinha. Ninguém ousava chamar palavras feias com o pai ou com a mãe. Qualquer travessura feita, era punido com um boa “pisa”. Às vezes, eu mesmo ia buscar o instrumento que minha mãe usava para me bater, geralmente era com a espada de são Jorge.

Tenho saudades daquele tempo... Eu era feliz e não sabia...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Você poderá gostar também

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...